Greg Reynolds é um fotógrafo do Brooklyn. Natural de Kentucky, ele se mudou para Nova York para estudar na Escola de Cinema da Universidade de Columbia. Greg era um militantes de uma organização estudantil cristã evangélica, a InterVarsity Christian Fellowship. No entanto, se assumir gay exigiu a demissão desta organização cristã conservadora. A partir de então, Reynolds arrecada dinheiro para produzir uma foto-livro sobre sua vida como um homem gay enrustido no ministério. Sobre o projeto, nomeado de  'Jesus Days, 1978-1983', ele declara:
"As imagens dos dias de Jesus foram feitas durante meus vinte anos, quando eu era um gay enrustido, um cristão nascido de novo e de um atuante em um movimento nacional da juventude cristã conservadora. Era minha tarefa a criação de grupos de estudantes cristãos nas universidades seculares que alcançaria com mensagem salvadora de Jesus Cristo os amigos não-cristãos. Eu levava até eles estudos bíblicos, ensinados nas reuniões de grupo, conferências dirigidas nos fins de semana em acampamentos de verão. Mas mesmo com todo o meu ministério, eu vivia com um segredo e lutei sozinho, para superar o meu próprio sexo. Este período foi o fim da Disco, e em 1983, quando eu pedi demissão do ministério, saí como um homem gay. Foi o início da crise da AIDS.
Acredito que 'Jesus Days, 1978-1983' traz a atenção para uma subcultura evangélica americana que continua a exercer forte influência sobre o público hoje. Sei também que existem jovens gays e lésbicas que lutam para conciliar sua sexualidade com suas crenças religiosas. Este período de tempo é muito bem documentado por notáveis fotógrafos americanos como Nan Goldin, por exemplo. No entanto, o assunto diante o mundo é completamente diferente”. 
Photo: Greg Reynolds  Greg Reynolds é um fotógrafo do Brooklyn. Natural de Kentucky, ele se mudou para Nova York para estudar na Escola de Cinema da Universidade de Columbia. Greg era um militantes de uma organização estudantil cristã evangélica, a InterVarsity Christian Fellowship. No entanto, se assumir gay exigiu a demissão desta organização cristã conservadora. A partir de então, Reynolds arrecada dinheiro para produzir uma foto-livro sobre sua vida como um homem gay enrustido no ministério. Sobre o projeto, nomeado de  'Jesus Days, 1978-1983', ele declara:
"As imagens dos dias de Jesus foram feitas durante meus vinte anos, quando eu era um gay enrustido, um cristão nascido de novo e de um atuante em um movimento nacional da juventude cristã conservadora. Era minha tarefa a criação de grupos de estudantes cristãos nas universidades seculares que alcançaria com mensagem salvadora de Jesus Cristo os amigos não-cristãos. Eu levava até eles estudos bíblicos, ensinados nas reuniões de grupo, conferências dirigidas nos fins de semana em acampamentos de verão. Mas mesmo com todo o meu ministério, eu vivia com um segredo e lutei sozinho, para superar o meu próprio sexo. Este período foi o fim da Disco, e em 1983, quando eu pedi demissão do ministério, saí como um homem gay. Foi o início da crise da AIDS.
Acredito que 'Jesus Days, 1978-1983' traz a atenção para uma subcultura evangélica americana que continua a exercer forte influência sobre o público hoje. Sei também que existem jovens gays e lésbicas que lutam para conciliar sua sexualidade com suas crenças religiosas. Este período de tempo é muito bem documentado por notáveis fotógrafos americanos como Nan Goldin, por exemplo. No entanto, o assunto diante o mundo é completamente diferente”. 
Photo: Greg Reynolds  Greg Reynolds é um fotógrafo do Brooklyn. Natural de Kentucky, ele se mudou para Nova York para estudar na Escola de Cinema da Universidade de Columbia. Greg era um militantes de uma organização estudantil cristã evangélica, a InterVarsity Christian Fellowship. No entanto, se assumir gay exigiu a demissão desta organização cristã conservadora. A partir de então, Reynolds arrecada dinheiro para produzir uma foto-livro sobre sua vida como um homem gay enrustido no ministério. Sobre o projeto, nomeado de  'Jesus Days, 1978-1983', ele declara:
"As imagens dos dias de Jesus foram feitas durante meus vinte anos, quando eu era um gay enrustido, um cristão nascido de novo e de um atuante em um movimento nacional da juventude cristã conservadora. Era minha tarefa a criação de grupos de estudantes cristãos nas universidades seculares que alcançaria com mensagem salvadora de Jesus Cristo os amigos não-cristãos. Eu levava até eles estudos bíblicos, ensinados nas reuniões de grupo, conferências dirigidas nos fins de semana em acampamentos de verão. Mas mesmo com todo o meu ministério, eu vivia com um segredo e lutei sozinho, para superar o meu próprio sexo. Este período foi o fim da Disco, e em 1983, quando eu pedi demissão do ministério, saí como um homem gay. Foi o início da crise da AIDS.
Acredito que 'Jesus Days, 1978-1983' traz a atenção para uma subcultura evangélica americana que continua a exercer forte influência sobre o público hoje. Sei também que existem jovens gays e lésbicas que lutam para conciliar sua sexualidade com suas crenças religiosas. Este período de tempo é muito bem documentado por notáveis fotógrafos americanos como Nan Goldin, por exemplo. No entanto, o assunto diante o mundo é completamente diferente”. 
Photo: Greg Reynolds 

Greg Reynolds é um fotógrafo do Brooklyn. Natural de Kentucky, ele se mudou para Nova York para estudar na Escola de Cinema da Universidade de Columbia. Greg era um militantes de uma organização estudantil cristã evangélica, a InterVarsity Christian Fellowship. No entanto, se assumir gay exigiu a demissão desta organização cristã conservadora. A partir de então, Reynolds arrecada dinheiro para produzir uma foto-livro sobre sua vida como um homem gay enrustido no ministério. Sobre o projeto, nomeado de  'Jesus Days, 1978-1983', ele declara:

"As imagens dos dias de Jesus foram feitas durante meus vinte anos, quando eu era um gay enrustido, um cristão nascido de novo e de um atuante em um movimento nacional da juventude cristã conservadora. Era minha tarefa a criação de grupos de estudantes cristãos nas universidades seculares que alcançaria com mensagem salvadora de Jesus Cristo os amigos não-cristãos. Eu levava até eles estudos bíblicos, ensinados nas reuniões de grupo, conferências dirigidas nos fins de semana em acampamentos de verão. Mas mesmo com todo o meu ministério, eu vivia com um segredo e lutei sozinho, para superar o meu próprio sexo. Este período foi o fim da Disco, e em 1983, quando eu pedi demissão do ministério, saí como um homem gay. Foi o início da crise da AIDS.

Acredito que 'Jesus Days, 1978-1983' traz a atenção para uma subcultura evangélica americana que continua a exercer forte influência sobre o público hoje. Sei também que existem jovens gays e lésbicas que lutam para conciliar sua sexualidade com suas crenças religiosas. Este período de tempo é muito bem documentado por notáveis fotógrafos americanos como Nan Goldin, por exemplo. No entanto, o assunto diante o mundo é completamente diferente”. 

Photo: Greg Reynolds